Clímax: o egoísmo do ser humano em obter prazer

Avatar

“O mesmo autor de Clube da Luta apresenta um retrato afiado do feminismo, do prazer sexual e do apocalipse do marketing em uma nova narrativa sobre as psiques desconjuntadas de homens e mulheres contemporâneos. Penny Harrigan é uma jovem recém-formada em Direito que trabalha no maior escritório de advocacia de Manhattan. Vinda do meio-oeste americano, ela mora em um pequeno apartamento no Queens com duas colegas e há tempos não tem nem sinal de vida amorosa. Por isso, imagine o choque que leva quando C. Linus Maxwell – ou “ClíMax”, o megabilionário famoso por casos com as mulheres mais lindas e cobiçadas do planeta – a convida para jantar? Pois ele não só a leva ao restaurante mais badalado de Nova York, como também a uma cobertura em Paris onde, caderneta à mão, começa a conduzi-la por dias e dias de ápices insonháveis de prazer orgásmico. Vai reclamar? Sim: Penny descobre que é a cobaia na etapa final de pesquisa e desenvolvimento da Beautiful You, uma linha de apetrechos sexuais que serão vendidos às mulheres do mundo todo numa cadeia multinacional de lojas. Milhões de mulheres fazem fila para abastecer-se do catálogo de aparelhinhos, tão potentes e eficazes que, por todo o globo, elas chegam em casa, trancam-se no quarto e não saem mais – a não ser quando precisam de pilhas. Alguém precisa deter o plano de Maxwell de dominar o mundo usando o prazer erótico. Mas como? “

climax-chuck-palahniuk

Assim como todos os livros de Chuck Palahniuk (autor mais conhecido por Clube da Luta), Clímax possui uma dose forte de erotismo e violência.

Confesso que foi uma experiência bem diferente pra mim, na primeira página me imaginei lendo um livro sobre feminismo e empoderamento, mas no decorrer dos capítulos eu fui percebendo que nada mais é do que o relato da grande influência que os homens tem, e não apenas entre eles mesmo, mas inclusive sob as mulheres, principalmente quando o assunto é sexo.

No desenvolver da história, Maxwell que a princípio parece ser o sonho de toda mulher, mostra ser na verdade seu pior pesadelo. Quase que livremente, as mulheres usuárias do “Beautiful You”, entram num estado de transe: Mulheres bem sucedidas, poderosas, mães, simplesmente largam tudo para viver apenas do prazer próprio. O que pouco importa para elas, é como foi a descoberta desse estado de êxtase tão sublime.

Para mim, o livro cumpre o que eu sempre espero de todos os livros do Palahniuk. Clímax, por ser um assunto romantizado por muitos, seria a versão “adulta” de 50 Tons de Cinza, sem romance, apenas o lado nu e cru do sexo, e egoísmo do ser humano em obter prazer.

climax-chuck-palahniuk-capa

Título original: Beautiful You
Capa comum: 224 páginas
Editora: LeYa
Lançamento no BR: 6 de julho de 2015

Publicado originalmente em Os Profanos, em 10 de junho de 2019.

Deixe um Comentário