O Delírio E A Fé De Florian Schneider

Márcio Calixto

Florian um dia avistou um pescador nas costas de Gana,

Pescando em sua rede, mais plástico do que peixes.

Quem sabe, em seu delírio criativo, pode ter-se visto

Na figura daquele pescador. Não porque tenha jogado a rede e pescado lixo plástico.

Mas talvez porque nem sempre jogamos nossas redes, nossas ideias e as pessoas captam.

Talvez ele quisesse, ansiasse, por um outro tipo de consciência daqueles que ouviram por mais de 5 décadas, seu som de alerta a uma sociedade consumista, fascista e narcisística.

Ainda mais agora, que parecemos realmente robôs, com medo de sentir e sermos enganados pelos próprios sentimentos.

E quando ele escreveu, Stop Plastic Pollution, não fosse só pelo lixo nos oceanos.

Sim pelo lixo em nossas vidas. O quanto nos tornamos artificiais e artífices de nossa própria robotização e destruição em massa.

O ato de lançar uma nova música e o ato de lançar uma rede é um ato de fé, iguais.

Entretanto, também ato de delírio se você acreditar que vai alcançar tantos peixes e pessoas.

Não dá realmente para saber quantos vão entender e se deixar levar;

Arrastados para a praia. O que se pode fazer é se projetar no oceano, no espaço.

Se lançar num ato de coragem nas nuvens ainda prenhes de novos relâmpagos.

Num mundo prenhe de novos sentidos.

Que sentidos serão esses, capazes de transformar a realidade,

senão os da loucura e os da fé de se lançar no futuro.

Deixe um Comentário

o-manifesto-1Murder-Ballad-À-Brasileira-Baladas-Sangrentas-1