Memorial Da Música Dos Anos 50 – Parte 3

Ramis Al Bud

Em nossa terceira parte daremos continuidade ao memorial da música dos anos 50 e os artistas que nos deixaram em 2019. Ficou curioso para conferir os outros posts? Acesse aqui o primeiro post e a parte 2 e não perca mais informações no meu programa ROCKET IN MY POCKET!

VAMOS COM ALGUNS NOMES DA MÚSICA DE MAIS SUCESSO DA ÉPOCA:

# Hal Blaine (5 de fevereiro de 1929 – 11 de março de 2019)

Este foi um exímio baterista de jazz e rock ‘n’ roll, bem como, considerado um dos músicos da batera que mais tocou em gravações – aproximadamente 35 000 sessões e 6 000 singles!

Seu mestre no instrumento era Roy Knapp (a título de curiosidade, foi o mesmo mentor de Gene Krupa); e, graças à sua inclinação ao jazz, começou a tocar na noite de Chicago. Eventualmente passou a acompanhar a banda de Count Basie. Mais à frente também acompanharia Patti Page e o meteórico ídolo teen Tommy Sands. Diferente de seus contemporâneos jazzistas, acredita-se que Hal Blaine tocava rock ‘n’ roll com gosto, não apenas como mais um trabalho.

Memorial-Da-Musica-Dos-Anos-50-Parte-3-1

Integrou o time do “Wrecking Crew”, grupo de músicos de sessão do produtor Phil Spector (curiosamente o apelido ao grupo foi dado pelo próprio Blaine), que também possuiu nomes como Glen Campbell e James Burton. Um dos maiores hits da história da música foi gravado pelo Wrecking Crew com Hal Blaine na bateria: The Ronettes “Be My Baby”!

Gravou também com Brian Wilson dos Beach Boys, Johnny Rivers e muitos, mas muitos outros artistas.

Faleceu em Palm Desert, California, aos 90 anos.

# Dick Dale (4 de maio de 1937 – 16 de março de 2019)

O músico dispensa qualquer tipo de apresentação, porém aí vai um breve apanhado sobre sua carreira: Considerado por muitos como o verdadeiro pai da surf music (com o detalhe de que ele realmente era adepto do surf). Começou tocando música country na cena local da Califórnia, mas seu estilo diferenciado de tocar, incluindo as escalas que o mesmo utilizava ao tocar sua guitarra, chamavam atenção.
No entanto, como canhoto no início tentou tocar como destro; eventualmente, optou por uma guitarra desenvolvida para canhotos, só que com o detalhe: tocava com o encordoamento totalmente ao contrário!

Memorial-Da-Musica-Dos-Anos-50-Parte-3-2.jpg

Seu primeiro grande hit foi “Let’s Go Trippin” que marca o início da surf music em 1961 e daí para frente emplacou “Misirlou” (hit monstruoso). Então, assinou contrato com a Capitol Records e também fez aparições no filme de 1963 “Beach Party”, protagonizado por Frankie Avalon e Annette Funicello. Vale lembrar também que fez uma notável parceria com Leo Fender na concepção e aperfeiçoamento do modelo “Fender Showman”. Segundo Leo, se o equipamento passasse pelo teste de Dick Dale, o qual elevava seus amplificadores ao máximo trabalho possível em suas performances, logo estaria apto ao consumo humano.
Dale sofreu com alguns problemas de saúde nos anos seguintes, como câncer, diabetes, etc; o que o afastou dos palcos por um certo período. Voltou ao underground da música em 1994, quando ganhou holofotes novamente graças à trilha sonora do filme “Pulp Fiction” que incluiria a canção “Misirlou”.

Basicamente, Dick Dale foi ‘obrigado’ a fazer shows até seus últimos dias de vida; uma vez que por si só, não conseguia arcar com os custos médicos de seu tratamento. Faleceu aos 81 anos em Loma Linda, California.

# David White (26 de novembro de 1939 – 16 de março de 2019) e

Joe Terry (20 de janeiro de 1941 – 15 de abril de 2019)

Memorial-Da-Musica-Dos-Anos-50-Parte-3-3.jpg
Legenda: ao centro, do lado esquerdo, Joe Terry, e, do lado direito, David White

Esses dois músicos foram membros originais do legendário grupo Danny and the Juniors, que emplacou hits como “Rock and Roll is Here to Stay” e o gigantesco “At the Hop”, este último um dos maiores chart toppers dos anos 50! O grupo foi descoberto pelo produtor e compositor Joe Madara, que além disso formaria uma dupla com David White ao escrever hits para outros artistas da época como Chubby Checker.

O triste é que David e Joe nos deixaram com praticamente 1 mês de diferença; mas certamente estão eternizados nas páginas da história da música e principalmente do Rock ‘n’ Roll para sempre!

E pra quem gostou deste post, fique ligado aqui no antenAPress, em breve mais partes!

Deixe um Comentário

Cães-Não-Bebem-Águas-Ao-Esgoto-And-Watering-The-Seeds-1.jpgInquietante Inspiração-A-De-Viajar-Mais-1